Próximo Desafio: AUDAX 200 Campos do Jordão, 07/12/2013

Olá amigos!

Post rápido para anunciar minha participação regular no próximo Audax organizado pelo Randonneurs SP, o famigerado AUDAX Extreme 200 de Campos.

Agradecimentos antecipados à Tutto Bike e à Curtlo, por apoiar-me novamente em mais esta empreitada. Por apoiar uma iniciativa tão simples, minha participação numa prova de ciclismo sem caráter competitivo, onde não há glória, nem pódium, nem inserção no Fantástico (é, este mesmo, o programa da Globo, rsrsrs).

Uma das estradas por onde passaremos, Rod. Monteiro Lobato. Foto Cedida por: Bike Magazine

Uma das estradas por onde passaremos, Rod. Monteiro Lobato.
Foto Cedida por: Bike Magazine

Serão 200km duríssimos em terreno de serra, para serem percorridos em no máximo 13:30h. Largada em Tremembé, passando por Santo Antônio do Pinhal, Monteiro Lobato, Campos do Jordão, e chegada no mesmo local de largada: Tremembé.

Se tiver interesse, é possível baixar a planilha de rota clicando aqui.

Abaixo, o mapa do percurso, pelo Bikely:

http://www.bikely.com/maps/bike-path/audax-200-campos-extreme-07-12-2013#

Um pouco do que usarei:

Um grande e fraternal abraço à todos!

Anúncios

Intervalos – Treinamento para Ciclismo

Bom, você já deve ter ouvido falar (ou lido) sobre os intervalos, sobre o treinamento intervalado ou o que alguns chamam de “tiros”, então evitarei chover no molhado. Se você nunca ouviu falar disto, se nunca leu nada a respeito, eu poderia dizer de uma forma bem resumida (e simplificada) que é um maravilhosa forma de treinamento se você não dispõe de muito tempo para rodar trechos verdadeiramente longos durante a semana.

Através de treinos do tipo “intervalos” você pode conseguir um belo incremento à sua performance, seja na potencia, força ou resistência, dispondo de apenas 30min. aproximadamente. Precisamos no entanto, entender que há várias formas de se treinar intervalos. Há séries de intervalos para todos os gostos, alterando um bocado o tempo de duração, o número de repetições e o tempo de repouso. Entendemos que uma série intervalada para incremento da potencia, precisa ser diferente daquela que usariamos para melhorar a resistência.

Um mês de treinamento intervalado, realizado com comprometimento/seriedade, e você estará um pouco (ou muito) melhor do que agora! Aqueça-te numa pedalada fácil, girando bastante, por algo como 10~15min. E não repita o treinamento mais que 2x por semana.

Vamos ao que mais interessa, O intervalo do dia!

Voando baixo por 40seg., para incremento da Resistência Muscular:

treinamento intervalos de 40 segundos

treinamento intervalos de 40 segundos

Esta série específica irá treinar seu corpo para se recuperar mais rápido e melhor entre os esforços realizados naqueles eventos que exijam ondas repetidas.

  • Em terreno plano, ou suavemente plano, encaixe uma marcha média, não muito leve, não muito pesada;
  • Pedale forte/pesado por 40 segundos (leia-se: desça a lenha!);
  • Descanse por 20 segundos; (apenas mantenha os pedais girando, em alguma marcha um bocado mais leve)
  • Repita isto 10 vezes, e você terá pedalado 10min. (40s de pauleira, 20s de repouso, 40s de pauleira, 20s de repouso…)
  • Pronto, você realizou 1 série! E irá realizar mais 3!!!
  • Você descansará loucamente por 5 minutos entre cada série.

A esta altura, se você fez tudo direitinho, está completamente frito(a), mas já passou o momento em que se perguntava porque diabos está fazendo isto. Descanse por dois dias completos, e seu corpo irá pedir para repetir tudo de novo!

Se gostou desta postagem, clique no botão curtir, e compartilhe entre os amigos!

(Aí eu prometo que compartilho uma outra série de tortura intervalada, para exercitar algo diferente de resistencia muscular.)

Um grande abraço, e até a próxima!

Brevet 200 série 2014 – AUDAX 200 Holambra – Novembro de 2013

Olá amigos!

No ultimo sábado, 09/11/2013, participei de mais uma prova AUDAX 200, esta organizada pelo Audax Randonneurs São Paulo. Foram 206km de prova saindo de Holambra-SP rumo Casa Branca-SP (103km) e retorno Casa Branca-Holambra (103km) pelo mesmo caminho. É possível ver o mapa do percurso clicando aqui, bem como fazer download da carta de rota/navegação usada nesta prova, clicando aqui.

Contei uma vez mais com a inestimável ajuda do amigo Jota, que mora em Holambra e que me deu carona para lá a partir de Campinas-SP. Ele escreve o blog JotaCiclo, com bastante coisa sobre Audax também, e um bocado de fotos!!! (muito melhor que o meu, que quase nunca tem fotos, rsrs). Também ajudou a encontrar hospedagem e sempre ajuda com um bocado de coisa… Aliás, foi por conta desta carona que conheci também outro parceiro de prova, o Paulo Guedes, que dividiu hospedagem comigo na pousada Rancho da Cachaça.

Na tarde e noite que antecede a prova, rolou Quiropraxia na Pousada Oca, e Jantar com os amigos Jota, Paulo Guedes, Edy Henriques e André Rufino (os dois ultimos, cada um mais bem humorado que o outro).

Largamos às 07:00h da manhã, pontualmente, e consegui manter um excelente ritmo à sombra do Jota em um “pelotãozinho” que foi se mostrando muito forte. Ainda não havia Sol forte, e o vento parecia muito suave, era prazeroso pedalar alí.

Eu estou de manga longa Laranja, atrás do amigo Jota, manga longa Azul.

Eu estou de manga longa Laranja, atrás do amigo Jota, manga longa Azul.

Assim chegamos ao PC1, 15min de parada (não sei se chegou a tudo isto), e não deu para fazer muito mais que: Carimbar passaporte, abastecer a caramanhola, beber uns 750ml de água, comer um pãozinho, uma banana, ir ao banheiro, e passar protetor solar.

Saimos rumo PC2 – onde seria bom lugar e boa hora para um almoço – ainda em um pelotão muito forte. Não se passou muito para que me custasse um pouco seguir junto ao pelotão, mas fui levando um pouco mais, até que me começou a custar um pouco caro, e passei a seguir em um ritmo à parte, um bocadinho mais lento que o pelotão onde se manteve o Jota.

Chegada ao PC2 – Já tinhamos Sol à pino, e o vento soprava suavemente contra. Quando entrei no restaurante (depois de carimbar passaporte), o Jota e alguns outros colegas já haviam (claro) terminado sua refeição, e se preparavam para partir dentro em instantes. Tratei de comer um prato bem colorido, sem carnes, sem muita gordura, muito próximo do que comeria no almoço de um dia qualquer. Apesar de ver quase todo mundo bebendo Coca Cola, e de ter eu também pensado nesta hipótese, segui na contra-mão e pedi (sem açúcar) o único suco natural que serviam alí (veio com TANTO açúcar que eu prefiro não falar disto, rsrs).

Olhando para trás a fim de cruzar a pista e acessar o PC2, Restaurante.

Olhando para trás a fim de cruzar a pista e acessar o PC2, Restaurante.

Feita a refeição, paga a conta, calçada a sapatilha, vestida a bandana, encaixado o capacete, abastecida a caramanhola e aplicado o protetor solar, parti rumo PC3, com a missão de “voltar para casa”. Imaginei apenas Sol forte, vento contra, e solidão. Ato contínuo encontrei companhia (dois ciclistas muito companheiros e num ritmo que eu podia acompanhar). 1 minuto se passou e encontramos vento favorável, praticamente o vento dos sonhos! Quanto ao Sol, eu estava certo, ele não nos abandonaria até MUITO tarde.

Chegada ao PC3, ponto de parada Frango Assado – Carimbei o passaporte e fui refrigerar o corpo (leia-se: tirar sapatilhas, colete e camisa, capacete e bandana) e sentar-me esticando as pernas, mas não antes de beber um gigantesco gole de água gelada e comer um pãozinho salgado (com queijo branco acho), oferecido pela organização desde o PC1. Minha vontade era sair imediatamente dalí e encarar logo o ultimo trecho, mas o desgaste era grande, e eu não estava nem um pouco disposto a arriscar “quebrar-me” na beira da pista e perder o Brevet. Eu nem podia pensar muito em fazer bom tempo de prova, porque apesar de muito à frete de muita gente, estava muito atrás de muita gente também… Se quisesse fazer um tempo curto, teria que ter feito algo entre os PCs 2 e 3, e não apenas nestes 50kms finais.

Partida rumo PC4 – Eu parti confiante, e ainda com um dos companheiros com quem fiz o trecho PC2-PC3. Nos juntamos a um terceiro companheiro que surgiu e seguimos juntos enquanto deu. O Sol fritava e o ritmo era bem lento, cabia apenas espantar da mente ideias do tipo: “Nossa, que calor infernal!” ou “Minha Nossa, esta subida está fritando minhas coxas”. Em meio a estes devaneios apareceu ainda uma vendinha de suco de laranja fresquinho na beira da pista (do tipo: bebe à vontade, por R$ 3,00), e eu ainda estava com 2 companheiros.

Hidratados, seguimos de uma vez por todas rumo nossa meta, o PC4, ponto de chegada. Eu acho que saí junto com os outros dois rapazes, mas não passou muito para vê-los seguir adiante enquanto eu ia ficando para trás, em um ritmo mais lento…

Quando menos percebi, alí estava a entrada de Holambra! (a do portal, não a do Moinho). Um pouco mais adiante, logo depois do Hotel Garden, uma saudação do Edy Henriques e André Rufino, que já haviam terminado a prova (o André infelizmente não brevetou. Só ele sabe o que sentiu pela forma do ocorrido). Eles falaram alguma coisa bem animada, ou animadora, mas confesso que não entendi absolutamente uma palavra naquele momento, rsrsrs, me perdoem meninos, eu estava bem grogue!

Alguns metros a mais, à direita no semáforo, à esquerda no lago, à direita no final da rua, e estou no ponto de chegada, perfazendo 11:26min de prova! (consigo fazer mentalmente este caminho agora mesmo, como se estivesse revivendo aquele momento). Uns 4 ou 5 minutos para carimbar o passaporte, trocar cumprimentos com o Jota, alí presente, que fez um tempo maravilhoso de prova e depois ainda pegou o carro para auxiliar amigos na estrada (que haviam abandonado a prova), e pronto, eu tinha em mãos o Brevet que havia ido buscar! Eu estava feliz da vida!!!

Clicando aqui você pode conferir os tempos oficiais da prova.

Cabia agora seguir até a pousada, bem “baleado”, tomar um bom banho, esticar as pernas, fazer boa refeição, chamar a esposa ao telefone, arrumar as coisas para partir na manhã seguinte rumo CASA!!!

Consegui chegar na pousada, demorei mais do que esperava para o banho, vomitei o suco de laranja imediatamente após entrar no banheiro, demorei a esticar as pernas, chamei a esposa ao telefone, não jantei (é, nem eu acredito que fiz esta besteira e acabei passando muita fome), só arrumei as coisas para partir depois de um bom tempinho de cama, e não foi a coisa mais simples do mundo pedalar até a parada de ônibus no dia seguinte, após um belo café da manhã, claro.

Para esta prova contei novamente com o apoio da Tutto Bike, onde confio a manutenção de minha bicicleta. Eles me dão grande suporte para realizar estes duros desafios. Hey Tutto Bike, eu amo vocês!!!

Contei também com o apoio da Curtlo, falo mais sobre isto em breve post! Hey Curtlo, se estiverem lendo isto, interpretem este parágrafo como um “Eu amo vocês!!!”. Eu tiro o chapéu para vários de seus produtos.

Alguns dos Equipamentos que utilizei:

  • Trek 1.5 com Shimano 105, compacto 50-34 e ultegra 27-12;
  • Mala-bike Curtlo;
  • Mala-rodas Curtlo;
  • Bermuda Vertigo Curtlo;
  • Camisa Bio-Ciclo Manga Longa, Curtlo;
  • Bolsa de Selim SII Curtlo; (porque cabe bastante coisa)
  • Mochila Curtlo para levar tudo isto na viagem;
  • Protetor solar fator 50
  • Pneus Maxxis Re-Fuse;
  • 04 Câmaras reserva (não tive furos)
  • Barras de Frutas e Barras de Castanhas Kobber; (me saiu saboroso mas um pouco mais doce do que deveria)
  • 01 tubinho de bebida energética (tipo taurina + cafeína + sei lá o que, quente do sol, a 30km do final. Acho que foi a responsável pelo vomito)

Um grande abraço à todos, e meus mais sinceros agradecimentos a todos aqueles com quem pude pedalar algum trecho da prova, a todo mundo que me ajudou ou apoiou de alguma maneira.

Até o próximo post pessoal!!!

(se você gostou deste post, e tem curiosidades sobre o tema, pode conferir aqui o post sobre a minha primeira prova de 200km)