AUDAX, novos desafios – Iniciando

Buenas;

Amigos, este é um daqueles posts que a gente deixa para escrever anos depois de uma realização, rsrs. Aguardava por um momento de inspiração para o fazer, e como isto nunca aconteceu – ou a preguiça falou mais alto – só o estou fazendo agora, reconhecido que a inspiração pode nunca ocorrer, rsrs.

Por volta de setembro de 2010 decidi subita e intempestivamente que voltaria a fazer meus “pedais” de longa distância, e li em algum lugar sobre as provas AUDAX de ciclismo. Era exatamente o que eu precisava, um desafio a altura! Eu estava enferrujado, há uns 6 anos sem fazer uma pedalada de 200km, meus pedais estavam se resumindo a pequenos passeios nos ultimos anos, mas eu já havia feito pedais muito, muito mais longos que 200km num passado “remoto”. Eu e meu coração (como se fossem coisas separadas) sabiamos que poderiamos fazer aquilo, sem treinamento específico algum, apenas uma boa bicicleta, muita vontade, e uma visão extremamente simplificada da coisa: Arrumar uma boa bicicleta, motivar-me cada dia mais, nada de gráficos, nada de estratégias, nada de treinamento, toda a experiência do passado ao meu favor. A ideia era algo mais ou menos assim: “provar que um ser-humano comum, pode sim pedalar 200km, sem treinamento específico”.

O primeiro passo foi encontrar uma bicicleta para meu novo “projeto”, o AUDAX 200 (percurso de 200km de estrada asfaltada, a ser percorrido em no máximo 13:30h) que seria realizado dois meses a frente, pelo Clube Randoneiro Cristal, em Cristalina-GO. (para quem não sabe eu estou morando em São Bernardo do Campo-SP, longe pra dedeu! rsrs)

Este primeiro passo tinha tudo para se tornar moroso, delicado, e cheio de dúvidas ou insegurança, mas pude contar com a ajuda e suporte da Tutto Bike. De uma forma bem resumida, eu sabia o que desejava: Uma bike que me remetesse à memória de meus tempos de treinamento em Road Bike, os tempos da Universidade em Aquidauana-MS, quando pedalava uma “speed” por aquelas verdes pastagens. Uma bike um pouco mais “mansa”, com um mínimo de conforto mas que não deixasse o discurso da performance totalmente de fora. Acreditava ainda, que encontraria isto tudo na geometria de uma Trek!

Maravilha! Visitei a loja e fui atendido pelo Robertinho (Roberto Jr.), trocamos uma ideia e ele concordou que dentro do raciocínio ora apresentado por mim, uma Trek 1.5 ou 1.7 me atenderiam perfeitamente (fosse outro o discurso, ele me apresentaria algo com mais cara de AUDAX, só que ele captou no ar o que rolava em meu coração e não direcionou-me ao oposto). Rolou uma sintonia imediata, e não tardei uma semana em conseguir a grana necessária. Optei pela Trek 1.5.

A danada da Trek 1.5

Uma vez adquirida a bike, instalei pedal clip (que já tinha guardado em alguma gaveta) e tirei o pó das sapatilhas, fiz alguns pedais curtos/passeios, para amansar a fera, começar a estabelecer nossa relação, e então retornei à Tutto Bike para fazer um Bike Fit. Não se espante se descobrir que não tem custo adicional quando compra uma bike bacana com eles! Mas também não garanto que isto seja uma regra ok?

Agora só restava ir até Cristalina-GO e brevetar meu primeiro AUDAX, após 200km de uma experiência magnifíca! Você pode ler meu extenso post sobre esta prova clicando aqui.

Um grande abraço à todos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s